P.E.C. Nº 18: Armindo Araújo/Miguel Ramalho; os Ralis decidem-se a «meio-campo»...



Este não é um blogue vocacionado para tergiversar sobre futebol.

Há, no entanto, alguns paralelismos entre a modalidade e os Ralis.

O segredo do bom futebol passa por um jogo de compromissos e equilíbrios: conseguir roubar o esférico ao adversário pressionando-o fortemente em processo defensivo e, logo após, transmutar essa ideia num maior sentido de risco para que, mantendo a posse de bola, com qualidade de passe e velocidade de circulação se possa de forma eficaz chegar com perigo às imediações da baliza contrária.

O justo balanço entre a defesa e o ataque, um conceito já antigo mas perfeitamente atual de «futebol total», será portanto a chave para se jogar bem e ganhar.

Nos Ralis passa-se algo semelhante.

Uma toada de «ataque deliberado» desguarnecendo uma certa margem de segurança defensiva, paga-se por norma bem caro sofrendo «autogolos» em forma de saídas de estrada.

Em contraponto, aplicar nos Ralis uma certa filosofia de «catenaccio», apostando no risco mínimo e segurança máxima, dá invariavelmente origem a grande perda de «pontos» [leia-se, segundos] para os adversários, com a consequente queda de posições na tabela classificativa.

Por tudo isto, também nos Ralis há que imprimir velocidade ao «jogo», mas sempre dentro de uma ideia de risco calculado.

Ainda não há muito tempo atrás, foi o próprio Sébastien Loeb quem se referiu a esta questão, afirmando com desarmante simplicidade que a chave do seu sucesso passa em grande medida por saber andar a 90% das suas possibilidades [nem a 91%, nem a 89%, segundo o próprio], só aumentando a fasquia em situações muito específicas, se determinado contexto assim o justificar.

O problema porventura pode residir é no facto do «andamento a 90%» de Loeb, representar 110 ou 120% para qualquer outro piloto.

No âmbito da «liga dos campeões» dos Ralis e nos melhores «estádios» [classificativas...] desse mundo fora, exibem-se a grande nível dois dos «galácticos» do nosso contentamento: Armindo Araújo e Miguel Ramalho.

Estamos em crer que Ramalho se assemelha em tudo a um «trinco» experiente.

Dada a tarimba conquistada pelos muitos «jogos» [Ralis...] que tem nas «pernas» [com mais propriedade, nos braços...] consegue filtrar e intuir a forma de «jogar» do adversário e, com a «bola» [tempos...] na sua posse, é capaz de impor o ritmo da sua equipa de acordo com o desenrolar da «partida», influindo decisivamente no resultado final.

É uma espécie de «voz de comando» dentro de «campo» [entenda-se, carro...] capaz de ser a extensão do «treinador» [diretor desportivo...] dentro das «quatro linhas» [classificativas...], definindo táticas e estratégicas consoante o «ritmo de jogo».

«Jogador» com «grande segurança no passe» [transmissão de notas e indicações ao piloto...], tem evidente perfil de liderança, constituindo-se natural e serenamente como o «capitão» da formação [Ralliart Itália] onde milita.

Avesso a dribles vistosos para a bancada, é o «carregador de piano» [leia-se, roadbooks...] que sabe, como poucos, galvanizar e puxar pelo resto da equipa.

Possui apurado sentido tático e é um apaixonado pela planificação, valorizando o trabalho dos «estágios» e «treinos semanais» [reconhecimentos...] antes dos «jogos» propriamente ditos.

Araújo, em complemento, assemelha-se aquele «médio criativo», o tal «nº 10» indispensável na construção do bom futebol.

Está a atingir o auge da sua carreira, tendo em 2009 arrebatado com indesmentível mérito o título de melhor «jogador» do mundo pela «FI(F)A» na sua categoria.

Dotado de enorme carisma e trabalhador infatigável, é um «jogador» muito querido pelos aficionados.

Gosta de ter a «bola» [volante...] em sua posse e com o seu elevado recorte técnico faz dela o que quer.

É um «jogador» que não tem grandes oscilações de forma durante a temporada.

«Pensa» e «executa rápido» [às vezes no limiar dos 200 kms/hora...].

É versátil, conseguindo-se exibir com a mesma bitola competitiva em qualquer «palco» ou «tipo de terreno».

Tem como característica uma elevada capacidade de improviso em cada «lance» [curva...] da «partida».

Marca muitos «golos» [vitórias em troços...] em cada temporada e, num rasgo de génio, consegue empolgar a mais exigente plateia.

Revela um apuradíssimo «domínio de bola» [carro...], raramente ela lhe fugindo para fora do «terreno de jogo».

Exímio a descobrir as melhores «linhas de passe» [trajetórias...], revela, como vimos, grande capacidade de «pensar» e «executar rápido» [inserção do carro em curva e correspondentes correções de volante...].

O «drible» que mais o notabiliza, dá pelo nome de contra brecagem.

É esta dupla de «centrocampistas», perfeitamente entrosada, que promete continuar a fazer miséria nas hostes adversárias e a elevar bem alto a bandeira e hino nacionais.



ARMINDO ARAÚJO/MIGUEL RAMALHO em imagens:

RALI CENTRO DE PORTUGAL/2006: [Classificativa «Alcobaça 1» - 13,76 kms -]
video

RALI DE PORTUGAL/2007: [Classificativa «Silves/Ourique 1» - 30,69 kms -]
video

RALI DE PORTUGAL/2009: [Classificativa «São Brás de Alportel 1» - 16,23 kms -]
video

RALI CENTRO DE PORTUGAL/2009: [Classificativa «Marinha Grande 1» - 7,50 kms -]
video

RALI DE PORTUGAL/2009: [Classificativa «São Brás de Alportel 2» - 16,23 kms -]
video

RALI CENTRO DE PORTUGAL/2009: [Classificativa «São Pedro 1» - 7,90 kms -]
video

RALI CENTRO DE PORTUGAL/2009: [Classificativa «São Pedro 2» - 7,90 kms -]
video

A FOTO QUE ENCIMA O PRESENTE TRABALHO FOI OBTIDA EM:
- http://www.google.pt/imgres?imgurl=http://aeiou.caras.pt/users/0/15/armindo-araujo-e-miguel-ramalho-255b.jpg&imgrefurl=http://aeiou.caras.pt/armindo-araujo-ja-regressou-a-portugal%3Df23834&usg=__KFhHYAR0FfCpZkEWlaM35h8xSBo=&h=370&w=470&sz=46&hl=pt-PT&start=26&sig2=Rw500hA929Yg0Pl3iVHZfA&tbnid=NDo5HwFRB-IKlM:&tbnh=159&tbnw=200&ei=0lhmTLjGMsjc4wabz42ZBA&prev=/images%3Fq%3Darmindo%2Bara%25C3%25BAjo%2Bfutebol%2Bfoto%26um%3D1%26hl%3Dpt-PT%26sa%3DX%26biw%3D1076%26bih%3D491%26tbs%3Disch:10%2C871&um=1&itbs=1&iact=hc&vpx=582&vpy=167&dur=1373&hovh=199&hovw=253&tx=127&ty=113&oei=t1hmTIy2I8z-4Abq9K2ZBA&esq=8&page=3&ndsp=8&ved=1t:429,r:6,s:26&biw=1076&bih=491

Comentários