P.E.C. Nº 62: Carvalho de Rei, 1992



Região do Douro.

Rali de Portugal.

Duas das mais admiráveis instituições portuguesas.

Duas reminiscências de um certo espírito e ideia de portugalidade.

Duas das mais notáveis formas deste país se projetar e afirmar fora de portas.

No passado, não raras vezes o Douro e o Rali de Portugal estabeleceram uma sólida identidade comum.

Durante anos, o Vinho do Porto, uma das maiores criações da história lusa, assumiu-se como o patrocinador principal do nosso emblemático evento automobilístico.

Por outro lado, o nosso Rali em diversas ocasiões não se eximiu a piscar os olhos aos imponentes montes e vales durienses, ali descobrindo classificativas, por exemplo, em Lamego, Armamar ou Pinhão, que proporcionavam a concorrentes e espetadores uma varanda visual sobre algumas das mais belas paisagens do mundo.

Se o Douro encerra segredos, os mais decifráveis serão a contemplação, a quietude, um discreto mas eficaz apelo a uma serenidade interior, quase bucólica.

O ‘espírito zen’ duriense, por paradoxal que possa parecer, sempre encaixou que nem uma luva no rebuliço e frenesim que foram, e são, a imagem de marca do Rali de Portugal.

As imagens que se seguem mostram o direto televisivo da saudosa classificativa de Carvalho de Rei, integrada na edição do Rali de Portugal de 1992.

Carvalho de Rei e Aboboreira foram, em diversas ocasiões, dois soberbos ‘socalcos’ desenhados coerentemente entre si, capazes de desviar a nossa prova de um certo espírito urbano que começava a caracterizá-la, devolvendo-lhe a consciência rural que lhe esteve na génese.

Eram tempos em que o Rali de Portugal se espraiava pelo interior do país e não resistia ao chamamento do Douro.

À temperança de Carvalho de Rei contrapunham os melhores pilotos do mundo com a exultação da condução, moldando o sussuro daquelas paragens com o mais melodioso som do mundo: o dos seus próprios carros em alta rotação.

O que vemos de seguida é uma admirável osmose entre ‘caos’ e ‘ordem’, entre ‘barulho’ e ‘silêncio’.

Os opostos, no fundo, atraem-se!

1ª PARTE:

2ª PARTE:

3ª PARTE:

4ª PARTE:

A FOTO QUE ENQUADRA O PRESENTE TRABALHO FOI OBTIDA EM:
- http://www.panoramio.com/user/2174429

Comentários