PARQUE DE ASSISTÊNCIA: Um ano de «Zona-Espectáculo»

«Zona-Espectáculo» conclui hoje, 31 de Maio, um ano de existência.

Como frisamos em algumas ocasiões anteriores, não nos deslumbramos por efemérides nem nos deixamos aperrear pelas recordações dos últimos 365 dias.

Motiva-nos o futuro e as ideias que temos em mente, e é com esse espírito que tentamos ir, a cada passo, construindo os nossos trabalhos neste espaço.

Há um ano atrás, partimos para este projeto tentando emprestar, ainda que modestamente, um cunho pessoal ao mundo e à envolvência dos Ralis.

A ideia passava por escapar à notícia da atualidade e à publicação de resultados – há mais quem faça isso, aliás de forma brilhante – e oferecer um olhar diferente sobre a modalidade, procurando primar pela originalidade.

Se o conseguimos ou não, competirá aos nossos visitantes avaliar.

Uma das intenções com que iniciámos este percurso foi o reforço da ideia que num carro de Ralis há uma equipa de duas pessoas, tão complementares quanto indispensáveis entre si.

Imbuídos desse espírito, publicámos diversos trabalhos dedicados em exclusivo aos navegadores, e sempre que citamos factos do passado ou do presente, aliado ao nome do piloto juntamos a esmagadora maioria das vezes a identificação do seu ´pendura´.

Por outro lado, fizemos uma aposta quase incontornável na abordagem ao Rali de Portugal.

Dirimimos a sacrossanta questão da sua localização e formato competitivo, aludimos aos seus atuais traços atuais de caráter e personalidade, tudo complementado pela publicação de imagens da nossa autoria.

Os pilotos nacionais mereceram espaço privilegiado neste blogue, numa ideia de tributo e desiderato de justiça que nos parece quase óbvia e elementar.

Não recusámos dar a nossa própria opinião sobre o atual momento dos Ralis em Portugal, identificando aqueles que nos parecem ser os seus principais problemas, deixando também alguns contributos para eventualmente os debelar.

Matéria que nos deu particular gozo e prazer intelectual foi calcorrear centenas de quilómetros à procura de locais referenciais do passado, fotografando-os para memória futura, objetivo que aliás pretendemos desenvolver e incrementar.

Olhámos para algumas competições fora de portas, que nos parece poder servirem de mote para a regeneração de que os Ralis em Portugal necessitam.

Começamos a radiografia do percurso desportivo de António Zanini - P.E.C. nº 4 e 39 - que pretendemos em breve continuar.

Um dos projetos-âncora deste blogue continua a ser a realização de entrevistas de fundo a alguns dos mais importantes protagonistas dos Ralis em Portugal.

No último ano levamos a cabo diversos contactos nesse sentido e em todas ocasiões os nossos interlocutores manifestaram total disponibilidade para o efeito, não escondendo sequer um considerável entusiasmo pelo repto por nós lançado.

Não somos, infelizmente, profissionais deste ofício: a nossa disponibilidade temporal nem sempre é a que desejamos.

Condicionados por estas limitações, não nos podemos dedicar a ouvir de viva voz alguns rostos que nos habituámos a admirar.

Vamos procurar inverter esta tendência e, logo que tal se mostre possível, iremos certamente ao encontro de pilotos, navegadores, dirigentes e chefes de equipas para perscrutar o seu pulsar pessoal sobre a modalidade.

Após quase sete dezenas de trabalhos sobre Ralis, podemos referir que demos por bem empregue cada minuto que investimos neste espaço.

Ideias não faltam e a motivação é a mesma da primeira hora.

Já estabelecemos diversos contactos para passarmos a livro uma série de ideias e trabalhos aqui desenvolvidos, algo que seguramente ocorrerá logo que tenhamos material suficiente para o efeito – matéria que para já ainda está longe de se verificar.

Para já, sem prejuízo de tudo o resto, continuamos entusiasmados para trabalhar sobre Ralis: a modalidade, dos Ralis-Pirata ao WRC, merece-o!

Comentários