domingo, 31 de julho de 2011

P.E.C. Nº 82: 66 vitórias [and counting...]



Antigo ginasta antes de se embrenhar na alta-roda dos Ralis, Sebástien Loeb foi quem melhor 'saltou' na edição dos '1000 Lagos' da temporada de 2011, concluída no pretérito fim-de-semana, averbando a segunda vitória da sua carreira em terras finlandesas.

A juntar a mais este triunfo, o sexagésimo sexto do seu pecúlio em provas do mundial, o gaulês deu em simultâneo um 'salto' de gigante rumo ao anunciado oitavo título de campeão do mundo.

Notícias sobre triunfos de Loeb no mundial de Ralis são corriqueiras.

O francês é hoje, ironicamente, o maior fator de banalização de si próprio.

Tantas conquistas reforçam a impressão que são fáceis de alcançar.

Adensam o sentimento que Séb quase está 'obrigado' a ganhar.

E no entanto a concorrência é hoje mais aguerrida que nunca, sobretudo provinda de Ogier, perfilado como um dos mais duros obstáculos [e foram vários...] que Séb-Lo já encontrou na sua carreira.

O campeão do mundo tem no seu homónimo companheiro de equipa um adversário temível, fortíssimo em todos os Ralis, muito regular, eficaz em qualquer tipo de terreno.

O desporto vive de uma relação causal entre desafios e respostas a eles.

Nessa medida, Loeb tem de novo vindo a ser particularmente afirmativo na presente temporada.

Quando o cenário se apresenta complicado, o campeão do mundo lança no terreno de jogo um arremedo de excelência.

Quando abrir a estrada na gravilha faz recear o pior, Séb está a aplicar com frieza cirúrgica puras pinceladas de talento.

Há nele uma reserva de galvanização que, mesmo nos momentos mais problemáticos, consegue colocá-lo na rota dos melhores resultados.

Os críticos enfatizam a condução 'científica' e algo 'cartesiana' de Loeb, avessa a improvisações e experimentalismos.

No entanto a época de 2011 tem vindo a revelar a face emocional do alsaciano, com o piloto da Citroen a dar nota de preterir o calculismo em favor de um estado latente de superação.

Os bons casamentos cultivam-se com autenticidade e com a capacidade de surpreender.

Nesse sentido o estado de enamoramento entre Loeb e os Ralis continua de tal forma intenso volvidos todos estes anos, que pode passar a figurar nos compêndios como o idílio perfeito.



A FOTO PRESENTE NESTE TRABALHO FOI OBTIDA EM:-
- http://geartinggi.com/

Sem comentários:

Enviar um comentário