quinta-feira, 5 de julho de 2012

P.E.C. Nº 147: Seb ou não Seb, eis a questão!


A temporada de 2011 encerrou sob os melhores augúrios para Jari-Matti Latvala.

Ralis tão diversos como os de Espanha ou da Grã-Bretanha correram-lhe de feição [vitória neste último], com o nórdico a expressar toda a rapidez que sempre lhe foi reconhecida, mas revelando em simultâneo um grau apurado de consistência que só a espaços [breves…] havia dado mostras anteriormente nas provas do campeonato do mundo.

Vários observadores apontaram, animados, o piloto da Ford como candidato ao título em 2012, atribuindo-lhe a capacidade de ser o único concorrente digno desse nome a poder contestar o poderio do binómio Sebastién Loeb/Citroen DS3 WRC.

Com Ogier a rodar [sempre rápido...], por uma época, numa espécie de ‘liga de honra’ dos Ralis, os predicados exibidos na fase final da época anterior perfilavam Jari-Matti, à entrada para a temporada em curso, como um reforço de peso relativamente aos contendores ao título.

À data em que Zona-Espectáculo publica estas linhas estão disputadas sete das treze etapas que compõem o calendário do campeonato do mundo de Ralis de 2012.

Quando se esperaria [mais: desejaria] um duelo cerrado e sem tréguas pelo campeonato de pilotos, o mundial mostra-nos, todavia, uma realidade diversa: um ‘mais do mesmo’ em que Loeb continua a projetar a sua aura de infalibilidade averbando cinco triunfos em sete provas [e ainda faltam vários Ralis em piso de asfalto, nos quais o francês é tido por catedrático], e onde Latvala vai deixando soltar a sua veia de goleador, infelizmente com mais tentos marcados sob o epíteto de autogolos [leia-se: acidentes], do que propriamente fazendo miséria nas hostes adversárias [traduza-se: vitórias].

Neste cenário, embalados pela frase que viria a imortalizar um antigo internacional de futebol português, arriscaríamos antecipar um prognóstico 'a meio do jogo': Sebastién Loeb é campeão do mundo de Ralis em 2012, sem que em condições normais se vislumbre algo de diferente relativamente às restantes provas da temporada que um mero ‘cumprir calendário’, com o octacampeão a gerir o que falta da época com sagacidade e eficácia Mourinhiana, dando minutos [vitórias em classificativas e em Ralis] em campo a um 'suplente' de luxo chamado Mikko Hirvonen.

A condução do gaulês é um pouco como o futebol da seleção de Espanha, recém-coroada campeã da Europa de futebol: ‘chata’ e ‘enfadonha’, mas com um índice de eficácia que ninguém no seu juízo perfeito ousa questionar.

A FOTO EXIBIDA NO PRESENTE TRABALHO FOI OBTIDA EM:
- http://forums.watchuseek.com/f2/what-watch-sebastien-loeb-wearing-428975.html

Sem comentários:

Enviar um comentário