sábado, 28 de julho de 2012

P.E.C. Nº 151: Perdidos & achados [embora a primeira hipótese pareça mais verossímil...]


Em contraste com o desporto motorizado praticado nos circuitos de velocidade, designadamente a F1, em que a coexistência entre de colegas de equipa é com frequência marcada por um clima de rivalidade quase bélico, nos Ralis são raras as ocasiões em que pilotos ao serviço da mesma equipa se deixam enredar por relações marcadamente tensas.

No passado tivemos exemplos [poucos, refira-se] que não terão sido fáceis de gerir: nos tempos da saudosa equipa oficial da Subaru, quando a relação entre Carlos Sainz e Colin McRae teve episódios de algum distanciamento [curiosamente viriam, anos mais tarde e aparentemente sem recalcamentos, a reatar a sua coabitação enquanto profissionais da mesma estrutura, desta feita ao serviço da Ford], ou mais recentemente no seio da Citroen, quando a irreverência e ambição de Ogier colidiu com o estatuto [p]referencial que Loeb detém no interior da equipa gaulesa.

Seja como for os Ralis em regra têm-se sabido preservar a si próprios, mantendo-se à margem de questiúnculas entre colegas de equipa, quase sempre estéreis, raramente edificantes, talvez porque em rigor a relação entre pilotos ao serviço do mesmo diretório acabe por se pautar pelo distanciamento: [normalmente] dois minutos em pleno troço.

O automobilismo, cujo córtex central é, com mais ou menos variáveis, o ato de conduzir, caracteriza-se por ser um desporto de matriz individual.

A classificação de pilotos é, sob todos os prismas [desde logo mediaticamente], mais prestigiante do que o campeonato de marcas.

Ainda assim, a pilotos ao serviço da mesma equipa [pagos por ela, em muitos casos regiamente], pede-se-lhes em algumas ocasiões que saibam abdicar do interesse individual em prol de um resultado favorável à estrutura onde estão integrados.

As ordens de equipa, assumidas ou concretizadas através de jogos florais camuflados, confundem-se com a própria história do desporto automóvel.

Nesse sentido são, talvez, a segunda profissão mais velha do mundo.

Ninguém aprecia que a hierarquia classificativa de um Rali dependa de outro fator que não a rapidez do carro, do piloto e do respetivo navegador.

A classificação geral exprime o resultado da análise ao sangue de uma prova, onde não deve constar colesterol ou triglicerídeos [leia-se: ordens] provenientes do diretor de equipa, nem qualquer bypass que influa artificialmente no destino de um Rali.

Referimos, atrás, que nesta nossa modalidade os pilotos ao serviço de uma mesma equipa mantêm um certo distanciamento físico nos seus postos de trabalho, como se trabalhassem para o mesmo patrão mas em departamentos diferentes.

Os carros espaçados no troço colocam os seus tripulantes a salvo das quezílias profissionais que muitas vezes decorrem da proximidade entre colegas a trabalhar debaixo do mesmo teto.

No entanto, mesmo nos Ralis, há algumas ocasiões em que fortuitamente colegas da mesma equipa se podem cruzar.

A foto que abre este trabalho retrata o Rali de Monte Carlo, safra de 1978.

De costas para nós Bernard Darniche coadjuvado por Alain Mahe, e, de frente, Maurizio Verini assessorado por Francesco Rossetti, companheiros de equipa ao serviço da equipa oficial da Fiat, sobrenome Abarth.

Inspirados, talvez, pela nacionalidade da marca que servem, parecem querer reproduzir a ideia de caos rodoviário perpétuo de cidades como Roma ou Nápoles. 

Numa modalidade onde o insólito é em inúmeras ocasiões parte do seu mapa genético, e a planificação de itinerários código normativo a aplicar a todo o tempo, fica a ironia da foto acima reproduzida retratar algum desnorte que nem o mais meticuloso roadbook consegue suprir.

Porém, também nos Ralis [como em quase tudo na vida...] não existem episódios que tenham caráter irreversível, como já de seguida, aliás, melhor se fica a perceber...


AS FOTOS PRESENTES NESTE TRABALHO FORAM OBTIDAS EM:
- http://www.specialstage.com/forums/showthread.php?40336-The-Original-Rally-Supercars/page6
- http://www.forum-auto.com/sport-auto/photo-sport-auto/sujet243862-2660.htm

Sem comentários:

Enviar um comentário