sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

P.E.C. Nº 337: Para apreciadores de curvas com 'ancas largas'...


No presente trabalho apresentamos duas fotos. 

Na primeira, em cima, vê-se uma longa curva à direita. 

Na segunda, que poderá visualizar logo de seguida a este texto, está uma longa curva à esquerda.

Duas curvas. 

Uma para cada lado. 

Ambas de um mesmo troço nacional em asfalto. 

Por norma os pilotos de Ralis apreciam este género de curvaturas

São as 180 graus amplas e bojudas que lhes permitem dar azo à criatividade na condução, abordando-as em compasso e com recurso a vigorosos e prolongados slides

O espetador agradece. 

Não raras vezes delicia-se com a arte, algo incongruente, do condutor manter uma trajetória estável no eixo dianteiro do carro ao mesmo tempo que, durante segundos, varre a estrada com a traseira do bólide ao longo da curva. 

Quem por norma não vai muito à bola com tais malabarismos é o cronómetro. 

Apreciando despegar do trabalho o mais cedo possível, aqueles décimos de segundos a mais acabam por tornar-se para os relógios horas-extra que o patrão não paga. 

Outras vítimas colaterais destes momentos lúdicos a que os pilotos se autoconcedem são os desgraçados dos navegadores, que no fim do troço lá têm as habituais dores de cabeça para perceber se se perdeu tempo, ou, por exemplo, se se mantém a posição na classificação do Rali. 

É a faceta do navegador enquanto contabilista

Uma palavra, aliás, para os penduras, que em prova têm muitas vezes de ser uma espécie de faz-tudo

São professores quando têm de ensinar ou corrigir erros de condução dos pilotos. 

Têm de ser psicólogos (em alguns casos, se calhar pedopsiquiatras será a terminologia mais adequada…) para ajudar ao equilíbrio e estabilidade emocional de quem conduz. 

Têm de saber ser líderes quando os índices de motivação do comparsa do lado esquerdo estão em baixa. 

Bons conhecimentos de excel é hoje requisito importante para se ser bom copiloto. 

Quando o condutor se desliga mentalmente da necessidade de realizar bons cronos privilegiando a nota artística, quase sempre vem à tona a contabilidade. 

A ideia é metaforicamente esta: o piloto é como o patrão que gasta à tripa-forra por conta da empresa, enquanto o navegador compara-se ao T.O.C que, depois, vê-se e deseja-se para colocar as contas do Rali devidamente certas. 

Gente extraordinária esta que se senta no banco direito dos automóveis da nossa modalidade

Recentrando-nos de novo no assunto do presente tópico, duas fotos que damos à estampa retratam uma classificativa portuguesa. 

Se os troços fossem como os autódromos e cada curva tivesse nome, talvez estivéssemos neste trabalho perante as parabólicas Teodósio: curvas que mais que para ser cumpridas, são acima de tudo para ser coreografadas

Fica então o desafio aos nossos ilustres visitantes, já ensaiado em diversas ocasiões anteriormente neste blogue: identificar que especial para Ralis as fotografias da presente P.E.C retratam


Sem comentários:

Enviar um comentário